Pular para o conteúdo

Produção da indústria cai 0,7% em setembro, segundo IBGE

    Produção da indústria cai 0,7% em setembro

    As informações são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e foram divulgadas nesta terça-feira (1), os dados indicam queda na atividade industrial em 0,7% entre agosto e setembro. O resultado é a segunda queda mensal consecutiva no setor, com perda acumulada de 1,4% no período analisado.

    De acordo com pesquisa da Reuters, composta pela estimativa de economistas do mercado, a queda esperada era de 0,6%. De acordo com o instituto, das 26 áreas pesquisadas, 21 apresentaram recuo na produção. Além de 4 das 6 macro categorias econômicas também apresentarem o mesmo resultado de tendência para baixo.

    Aspectos analisados por categorias

    Entre os bens de consumo semi e não duráveis a queda foi de -1,4%. Por sua vez, os bens intermediários também apresentaram queda; -1,1%. Se trata dos piores resultado dentre os aspectos analisados. Outros dois itens que apresentaram redução em setembro foram os bens de capital, e os bens de consumo duráveis. -0,5%, -0,2%, respectivamente. A partir desse resultado, de acordo com o instituto, o desempenho da indústria ainda está 2,4% abaixo do patamar que antecedeu a pandemia. (fevereiro de 2020). Se analisarmos o período que atingiu recorde de produção, maio de 2011, a distância chega a 18,7%.

    Período de comparação

    A comparação feita com o mesmo mês de 2021 indica que o setor avançou 0,4%; destaques em duas das quatro categorias econômicas: bens de capital e bens de consumo duráveis; 4,6% e 10,5%, respectivamente.

    Em contrapartida, outros itens dentro da análise não apresentaram o mesmo resultado. Tiveram queda bens de consumo semi e não-duráveis e bens intermediários; -1,4% e -0,3%, respectivamente. Essa análise também levou em consideração a quantidade de dias em ambos os meses; setembro deste ano e de 2021. Foram 21 dias.

    Acumulado dos nove meses

    O resultado impõe a tendência de queda no acumulado do ano, a variação negativa já chega a 1,1%. Dentre esses itens, os nove meses do ano registraram, até agora, uma rigidez sobre os bens de consumo duráveis com queda de -5,3%. Além disso, a queda na produção de eletrodomésticos também impactou. -16,4%, sobretudo os itens da “linha branca” que chegou a -20,3%.

    Dentre os recuos, todos foram menores que a média de desaceleração da indústria -1,1%, os bens intermediários tiveram queda de -1,0%. Os bens de consumo semi e não duráveis, -0,7%. Além da queda de -0,5% de bens de capital.

     

    Saiba mais: Projeção para IPCA de 2022 tem alta depois de 17 quedas seguidas

    Setor público alcança superávit de R$ 10,7 bilhões em setembro

    LULA é eleito pela 3ª vez; 50,90% dos votos válidos

     

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    0

    CARREGANDO